Gilson, o que você faz quando precisa aprender uma música? Por onde começar?

Isso depende muito de quanto tempo você tem para aprender, mas vamos considerar que você tenha que saber esta música para um ensaio daqui um ou dois dias. Então iremos ao seguinte cronograma: 

1. Faça uma Audição Casual

Imagine que você tenha uma manhã inteira de atividades como ir ao mercado, à academia, fazer umas voltas de carro ou apé; aproveite este tempo extra para conhecer a música, sem compromisso com aprender suas partes. Apenas deixe a música rolar e subconscientemente você irá sacar algumas coisas, como paradas na música, etc. Se você não tiver tempo para isso, pule direto para a próxima etapa.

2. faça uma audição com atenção

Agora é a hora de você deve entender a música. É um rock? Um reggae? como devo me comportar? Devo tocar igual a versão original em todas as partes ou terei liberdade para criar?  Nesta fase, é importante que você pare qualquer outra atividade e foque somente na música. Esforce-se para nesta fase você já ter as sessões decoradas, ou seja, tenha certeza que consegue identificar quantos compassos terá até o refrão, etc.

3. pegando o groove

Fazer uma audição casual ou com atenção você pode fazer em qualquer lugar, mas agora nesta etapa você deve estar sentado à sua bateria. Preste atenção no groove (ritmo, levada) principal. Algumas músicas podem ter diferentes grooves em cada sessão: introdução, verso, ponte, refrão, etc... Ainda não se preocupe com detalhes como viradas e trechos que não são tocados por todos na banda. Chamamos esses trechos mais importantes - onde os demais além do baterista tocam juntos determinadas acentuações - de convenções. Foque somente nos grooves e convenções. Pense que se você tivesse que tocar ao vivo neste momento, talvez não conseguiria executar a música exatamente igual, mas talvez o suficiente para não comprometer a execução. Se o groove e as convenções estão lá, então você já está fazendo o que realmente importa. Ah, se você não consegue acompanhar a música em seus grooves principais, num andamento aproximado do original, repense se não seria melhor descartar a música do seu repertório (ou da sua banda), ou criar um arranjo próprio!

4. Pegando nota

Aqui é interessante que você volte a "audição com atenção", porém para reparar naquelas partes que não estavam saindo muito certo ou naqueles detalhes que você sente necessidade de fazer igual ao original. Pode ser útil (especialmente se você tem pouco tempo) que você anote algumas partes para não se esquecer dos detalhes, afinal, decorar várias músicas pode levar um tempo que você talvez não tenha. 

5. TOCANDO EM FRENTE

Agora leve suas anotações pro kit, faça as correções e ajustes necessários. Tente tocar exatamente o que você acha que é necessário para sair tudo do seu gosto (e da maneira que a banda espera que você toque!). Daqui em diante, o ideal é que você toque quantas vezes for necessário para a música sair correta e que você dependa o mínimo possível da leitura da sua "colinha". Mas caso não tenha muito tempo, pelo menos leve as anotações para os ensaios e shows para garantir.

Eu não sei ler nem escrever partitura!

E agora?

Relaxe, pois quando eu falei anotar, não quis dizer sair escrevendo nota-por-nota uma peça para 75 vozes como se fosse a reencarnação do Mozart.  "Anotar" quer dizer: pequenas dicas como "groove maluco nos tons", ou "chimbal aberto tum pa tum pa", ou  qualquer anotação que lhe faça lembrar do que fazer. E claro, se você tiver algum conhecimento teórico, ajuda bastante. As vezes pode ser útil anotar aquele groove mais chato nota-por-nota, ou contar algumas barras e anotar as mudanças de fórmula de compasso. Mas tudo bem se você não sabe o que é isso, o que importa é que você entenda suas anotações - e consiga se lembrar o que elas significam!

Dica de ouro!

Uma maneira que venho utilizando há alguns anos com músicas mais básicas (ritmicamente falando), como aquelas canções típicas, onde a voz e letra são o mais importante, ou são mesmo a base de criação da música. Por exemplo, no sertanejo raiz.

Esse tipo de abordagem funciona muito bem também quando você toca um som mais "orgânico", ou quando não tem a preocupação de tocar nota-por-nota as partes de bateria, igual a versão original. Já usei esse tipo de abordagem para tirar desde um repertório de covers do The Doors, um show inteiro de música Gospel e até um show só com clássicos da Moda de Viola, entre muitas outras situações.

Minhas anotações para  execução da bateria em "Obras do Poeta" de Chitãozinho e Xororó

Faça o seguinte:

  1. Procure na internet a letra da música e passe ela para um editor de texto;
  2. dê play na música, enquanto olha para a letra da música. Escute e leia tudo até o fim;
  3. Certifique-se de que todas as partes e repetições estão ali anotadas. Adicione alguns parênteses se necessário como "solo de guitarra" em algum parágrafo específico.
  4. Dê espaços entre parágrafos onde você identificar muitas mudanças na bateria e no instrumental em geral. Você irá usar esse espaço para anotar à mão depois.
  5. Imprima a letra da música, tentando deixar o mais resumida possível, para não ter 10 páginas cada música. Lembre-se que você estará tocando e ficar virando página durante o show ninguém merece.
  6. Agora, novamente escute a música enquanto lê o papel. Anote andamento aproximado (se souber o BPM, melhor, se não, anote algo como "andamento lento", "andamento tipo o daquela música que eu adoro".
  7. Circule sílabas de palavras da letra onde você percebe que há acentos nos pratos, ou ataques de alguma peça específica. Isso é MUITO útil!
  8. Utilize aqueles espaços que você deixou entre os parágrafos para anotações extras como "contar 8 compassos e parar", ou "fazer uma virada em semicolcheia" se souber o que isso significa.
  9. Tente novamente tocar  a música, mas agora prestando atenção na letra. Você vai se surpreender como sua memória fluirá melhor, a medida que você passar a acompanhar as músicas dessa forma durante ensaios sozinho ou com banda.
  10. Bom, é isso. só achei legal por um item 10 para ficar mais bacana. (rs)

Não consigo!

Se mesmo depois de todas essas dicas você ainda tem dificuldade de perceber as coisas (percepção auditiva) ou não sabe mesmo como tomar nota do que fazer na bateria, não se preocupe. Pode ser o momento crucial de você finalmente procurar um professor para lhe ajudar. Dê preferência sempre para aulas particulares e com um professor que você confia, cara a cara. Caso na sua cidade isso não seja possível, terei prazer em ajudar! Sabia que dou aulas via Skype? 

Mas e você que já está acostumado a tirar músicas 'na correria', como faz para lembrar de tudo? Conte pra gente aí nos comentários!

Grande abraço!

-Gilson

11 Comments