A MELHOR BAQUETA É A SUA MELHOR BAQUETA.

Muitos alunos chegam perguntando qual par de baquetas eu recomendo para eles. Pra dificultar, fazem essa pergunta na primeira aula, quando eu sequer vi eles tocando! 

Existem milhares e milhares de pesos, medidas, formatos, madeiras, etc. Não existe a melhor. Por isso, prefiro levar em consideração o que você NÃO deveria comprar, baseado em alguns requisitos.

 

CONSIDERAÇÕES

Antes de tudo, avalie o seguinte:

  • Seu orçamento; (em tempo de crise, infelizmente essa é a prioridade!);
  • Seu jeito de tocar; (não estou falando de estilo musical e sim se você desce a porrada ou tem mão de alface!)
  • O tamanho das suas mãos; (para alguns bateristas um modelo 7A pode parecer um palito de creps!)
  • seu contato com o instrumento; (começou a tocar agora? experimente algo mais básico e convencional para depois explorar baquetas mais exóticas).

O preço varia muito, especialmente quando falamos de baquetas importadas. Mas não adianta se iludir, o preço determina sim a qualidade do produto. Essa de "custo x benefício" é assim: pagou barato? Comprou produto inferior.

Seu jeito de tocar deve influenciar na escolha, considerando se você normalmente toca muito forte ou fraco (seja por gosto ou necessidade). Baquetas mais leves tendem a resultar em menos volume e vice-versa. Observe a sua necessidade.

O tamanho das mãos pode ser preponderante na escolha do tamanho das baquetas. Afinal, você pode precisar tocar leve (usando uma medida 7A) mas se sua mão é como a de um jogador de basquete, pode ser que uma 5B lhe dê uma pegada melhor.

O seu contato com o instrumento também deve ser levado em consideração. Não recomendo medidas muito estranhas ou extremas para iniciantes pois eles ainda devem se conhecer como bateristas antes de identificarem um par de baquetas ideal. Se for o seu caso, vá na tradicional medida 5A, que fica "em cima do muro". Assim, quando você quiser ir para uma medida mais leve ou mais pesada, irá sofrer menos, pois a 5A fica no meio do caminho.

Respondidas as questões acima, agora é hora de conhecer os pontos que você deve considerar ao avaliar um par de baquetas.

PAU PRA TODA OBRA

Gosto de considerar os seguintes itens na hora da escolha:

  • tipo de madeira; (hickory, maple, oak, jatobá, marfim...)
  • medidas; (7A, 5A, 5B, 2B, 1S, 2S, 3S, séries assinadas, etc)
  • pontas; (madeira, nylon, plástico e diferentes formatos)
  • marcas; (Promark, Vic Firth, Vater, Liverpool, C. Ibañes, etc)

As madeiras podem definir muito mais do que você pode imaginar; o peso por exemplo. Uma baqueta 2B de marfim (que aos olhos, parece um cabo de vassoura) pode ser mais leve que uma fina e curta baqueta 7A em jatobá, que normalmente é uma baqueta leve, dependendo da madeira. Ah, outro ponto importante: a durabilidade é também culpa da madeira. Por isso, se você puder, fuja de baquetas baratas tipo marfim. Dê preferência para madeiras como american hickory, jatobá, hard rock maple, oak, entre outras. 

As medidas irão determinar o tamanho e diâmetro das baquetas. Considero que este item é bem pessoal e vai do tamanho das suas mãos e também se você quer tirar mais volume dos tambores ou quer tocar de forma mais contida. Quanto maior essas medidas, mais volume você terá. Em ordem de tamanho, as baquetas para uso na bateria seguem da menor para maior: 7A, 5A, 5B, 2B.

As pontas determinam em grande parte o som dos pratos, variando em formato e material. Aqui, o que conta é seu gosto. Recomendo fugir das baquetas com ponta de plástico. Conforme você vê no quadro abaixo, elas sequer foram citadas:

extraído do site http://blog.estrela10.com.br/

extraído do site http://blog.estrela10.com.br/

Os formatos, como você pode perceber, variam também do seu interesse. Ou seja, vale a pena testar diferentes formatos sempre que possível até encontrar o seu som.

Pontas de Nylon ou Madeira são as melhores opções e novamente, você deve considerar seu gosto pessoal. Pontas de Plástico são na verdade uma enganação mais barata pra fazer você comprar um par de baquetas novo toda semana. Baquetas com ponta de plástico tendem a quebrar e deixar a baqueta inutilizável, pois abaixo do plástico há uma ponta inapropriada para tocar. Veja a diferença clara entre Nylon e Plástico:

Sem Título-1.jpg

As marcas são, por incrível que pareça, o menos importante. Afinal, todas as grandes marcas trabalham com linhas de diferentes tipos para diferentes públicos. Basta você identificar o produto ideal para você.

MODELOS ASSINADOS

Uma jogada das marcas são modelos assinados por seus bateristas patrocinados, que na grande maioria das vezes, optam por alongar o tamanho das baquetas e "engrossar" o "pescoço" para dar mais peso na ponta. Pode ser legal você usar um par desses, especialmente quando se trata de um modelo de um baterista que você admira.

ESTILOS MUSICAIS

Porém, entenda que modelos com chamarizes como "modelo rock", "modelo jazz", "modelo heavy metal", são apenas artifícios para você comprar. Ninguém pode dizer que um baterista de metal não pode usar um modelo mais leve e vice-versa, contrariando o que esses modelos costumam determinar.

FUJA:

  • das baquetas feitas de marfim;

  • das baquetas com pontas de plástico;

 

DICA para o seu bolso

Sabia que muitas marcas (importadas e nacionais) trabalham com uma "segunda linha"? Por exemplo: a Vic Firth tem a NOVA.; a Promark tem a L.A.; a Vater tem a Goodwood; e a nacional Liverpool tem a Tennessee. Essas segundas linhas trabalham com as mesmas madeiras da primeira linha, porém não passam por um controle de qualidade mais apurado, como balanceamento do peso dos pares. Porém, pode ser uma boa pedida pra você que procura o famoso custo x benefício. Vale a pena testar.

MEU PAR PERFEITO

Meu gosto pessoal são baquetas em Jatobá, tamanho 5A, da marca Liverpool. Por serem resistentes e num peso acima da média, me dão poder no ataque e a pegada fica na medida para minhas mãos. 

Modelo Eco Jatobá 5B da Liverpool.

Modelo Eco Jatobá 5B da Liverpool.

QUAL A SUA?

Comente aí: qual A SUA baqueta favorita e por quê?

Abraço,

- Gilson


28 Comments